Cenário Econômico: Tendências e mudanças.

  • COMPARTILHE:

O cenário econômico e inúmeras atividades cotidianas foram profundamente impactadas pela pandemia. Assim, atividades cotidianas que antes eram simples agora estão mais restritas, e carregadas de muitos cuidados. 

O mesmo pode ser dito com relação a economia. De acordo com o FMI, a previsão de queda do crescimento econômico, foi de 9,1% para 5,3% Consequentemente, o primeiro trimestre de 2020 tem sido considerado como o mais atípico da história.

Dessa forma, o impacto da pandemia foi tão forte que alguns economistas têm falado que se tratam de mudanças estruturais.

Sinais de uma reação

Todavia, já é possível ver sinais de uma reação na economia. Por exemplo, no Brasil segundo a Goldman Sach, a previsão de queda do PIB brasileiro que era de 7,5%, foi reduzida para 5%.

Dessa forma, a melhora na previsão da queda está ligada a consolidação de algumas tendências no cenário econômico. Tendências que já estavam acontecendo e que foram aceleradas durante a pandemia, favorecendo a reação positiva no cenário econômico.

Abaixo estão três principais tendências da atual conjuntura que tem sido o diferencial de muitas empresas:  

  • Aumento no investimento em tecnologia 
  • Uma maior atenção no comportamento do consumidor
  • Novas formas de pagamento. 

AUMENTO NO INVESTIMENTO EM TECNOLOGIA

Mulher

O varejo online teve um crescimento exponencial nos primeiros meses da pandemia. Isso fez com que muitas empresas conseguissem superar a crise econômica.

Segundo economistas, o setores que mais se consagraram no primeiro trimestre na economia foram aqueles que utilizaram o e-commerce, sendo considerados como os winners da crise econômica do primeiro trimestre.

Esses dados mostram que uma das tendências é o aumento no investimento na área de tecnologia. Portanto, as empresas que fizeram uso deste recurso, durante a pandemia, conseguiram diminuir os efeitos da pandemia.

Para o economista Felipe Passaro, as empresas que não investirem em tecnologia nesse momento, estão numa enorme desvantagem:

“Hoje em dia, aquela empresa, aquele setor que não está se automatizando e vendo a tecnologia dentro de seu negócio […] vai perder muito mercado.”

Assim, fica claro que o investimento em tecnologia pode ser um fator de segurança para o desempenho econômico de diversos segmentos. Servindo como uma garantia que, mesmo em tempos de crise, é possível não ter uma queda vertiginosa.

Essa tendência está diretamente relacionada com uma mudança no comportamento do consumidor, que foi notado pelas empresas que fizeram esse investimento.

Uma maior atenção no comportamento do consumidor

Consumidora escolhendo roupa. Maior atenção.

As empresas que estavam atentas ao mercado, perceberam que o comportamento do consumidor vinha mudando; e como consequência, conseguiram identificar sua buyer persona. Assim, foi possível desenhar estratégias adequadas para melhor atender os consumidores.

Essa mudança está relacionada, por exemplo, com o comportamento do consumidor, que agora tem optado por fazer as compras online. Por exemplo, se antes de fazer alguma compra, o consumidor ia para um shopping e visitava algumas lojas comparando os preços, hoje ele faz isso online.

Um exemplo disso, é que de acordo com estimativas, o tráfego em sites teve um aumento de 16% no segundo trimestre de 2020 quando comparado com o primeiro.

Contudo, essa mudança já estava acontecendo antes da pandemia; mas foi intensificada nela. Como resultado, as compras online, antes consideradas uma exceção, agora tem se tornado cada vez mais normais.

Dessa forma, o bom desempenho das empresas que investiram em tecnologia estaria explicado. É necessário ter essa percepção de que o comportamento do consumidor já estava em mudança, mas agora tem se consolidado.

Mudanças na forma de pagamento

Placa com frase: time for change. Tempo de mudança

Uma das primeiras consequências diretas dessas novas tenências, foi a mudança na forma de pagamento. Segundo um levantamento realizado pela Mastercard em parceria com a Kantar, 56% dos brasileiros afirmam ter adotado outras formas de pagamento, principalmente as digitais.

Somado ao fato que mexer com dinheiro em espécie se tornou algo ainda mais raro, é notável que muitos adotaram outras formas de pagamento por acharem mais seguro. Por exemplo, transferências bancárias que antes eram realizadas na boca do caixa, agora são realizadas através de um aplicativo.

Contudo, essa mudança não atinge somente aqueles que possuem uma alta renda. Pelo contrário, de acordo com um estudo feito pela Brain, 55% de pessoas que possuem uma renda baixa dizem preferir fazer pagamentos através de aplicativos.

Ademais, o uso de carteiras digitais como PayPal, Picpay cresceu durante a pandemia, se tornando uma forte tendência no mercado.

Logo, essas tendências apontam para um novo cenário econômico, no qual, as empresas que têm seguido, irão alavancar seu desenvolvimento. Dessa forma, a necessidade de aprender a se adequar com as novas tendências na economia é reforçada.

Em síntese, estas tendências não começaram na pandemia, elas apenas se intensificaram. Então, não se trata de uma moda que depois da pandemia vai passar, mas de uma tendência no mercado.

Assim, aqueles que conseguirem alinhar seus negócios a essas três tendências conseguirão superar a crise.

FIQUE POR DENTRO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES SOBRE O MUNDO DO MARKETING

Leia também

O Novo Caminho do consumidor foto

O Novo Caminho do Consumidor

A ORIGEM DO COMÉRCIO: O Caminho do Consumidor já passou por diversas mudanças ao longo da história, e…Continue lendo

TikTok: Sua empresa já está usando?

O TikTok é uma plataforma de produção e compartilhamento de vídeos de até 15 segundos. Hoje, o seu…Continue lendo
Agência Limo - Persona

O que é Persona e qual é a sua importância?

Antes de entrarmos no assunto relacionado ao que é Persona, primeiramente é muito importante considerarmos algumas coisas a…Continue lendo
Você sabe o que é Branding?

Branding: O que é e a sua importância?

O termo “Branding” faz parte do dicionário habitual da área de marketing. A palavra de origem inglesa faz…Continue lendo